PENSANDO

PENSANDO

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O INCOMPETENTE



Não tenho competência para ganhar dinheiro.
Mas tenho uma rara competência para ser feliz plenamente por períodos muito prolongados.
Consigo ser extremamente feliz cortando lenha prá lareira, fazendo trabalhos pesados na reforma de minha casa, ou voltando para a cama quentinha depois de colocar minha filha no ônibus para a escola nas manhas geladas. Extremamente feliz também, fico por saber que esta fazendo menos 2 graus que a geada vai deixar tudo branquinho depois tudo parecendo com o jardim da Família Adans, e sou profundamente feliz quando um de meus cães vem me interromper no trabalho para ganhar um breve carinho.
Quem quer trocar comigo?
Eu não busco mais dinheiro. Desisti de descobrir como se faz.
Sou basicamente honesto, gosto de coisas com começo meio e fim e das coisas bem acabadas. Portanto meu trabalho não é rentável.
Recebo elogios, sou procurado para novos trabalhos sempre, mas raramente ganho o suficiente para ter tranquilidade material.
Mas sou bem fénix, vivo surgindo e ressurgindo, mas dei prá desdenhar, prá não procurar mais pelas pessoas, por ficar em meu canto fazendo coisas para mim, nem para a família, prá mim só prá mim.
A dor nas costas depois de um dia duro de trabalho, com dinheiro ou sem dinheiro me dá muito prazer e felicidade, poder dormir pesado enquanto a Norma senta a mão na cara do Léo e não me ligar nisso.
Um deliciosa caipirinha ou um suco de melancia, umas fatias de bolo feito pela Bibi, umas coçadas na cabeça do louro e o mundo esta nos eixos, independo do mundo, ele independe de mim nessas horas.
Não vim para mudar, não vim para pesar, não vim para espantar, fazer, diferença,

2 comentários:

Mary Joe disse...

Vitório, acho que vc tem um tipo raro de competência: essa vocação para a felicidade! E é tão mais enriquecedora! Penso que é mais rara do que essa busca pelo dinheiro.

Nem sempre consigo ser tão feliz assim com as pequenas coisas mas quando consigo, vejo que a plenitude é uma coisa maravilhosa e independe de termos ou não dinheiro.

É bom ler seus textos, faça-nos o favor de naõ sumir, tá bem...

Arquimedes disse...

Então, primo...felicidade acho que é isso... as pequenas coisas feitas com prazer. Como é difícil perdê-las... aproveite!