PENSANDO

PENSANDO

terça-feira, 2 de março de 2010

ALICE NÃO VÊ O QUE PRECISA SER VISTO.

MaRy JoE fez uma postagem em seu blog que achei muito impostante comentar.
Mas como não consegui de forma alguma comentar no blog dela, aqui vai o comentário, depois entrem no blog Afinando e leiam a postagem dela por quê vale a pena mergulhar no tema.

Pode haver muitas opiniões mas existe apenas uma verdade.
Alice não vê o que precisa ser visto.
Ela gosta de sua gata mas despreza o fato de que a gata é uma predadora de ratos.
Não é culpa da gata, mas a natureza faz com que ela seja assim, além de ser carinhosa com Alice, por interesse próprio e linda. Com isso Alice releva e não vê que a gata é uma assassina de ratos.
O rato não vê beleza na gata, vê apenas o enorme risco que corre em sua presença.
Alice erra, não que devesse odiar a gata, mas deveria ter a sensibilidade de saber que conversava com um rato. Se Alice fosse uma juiza inocentaria a Suzane Richthofen, porque a Suzane é bonita, jovem, tem um rostinho meigo e certamente é uma pessoa carinhosa, mas é uma pessoa condenada por participar de um assassinato.
Alice julga por seus interesses e despreza a verdade.

James Bond é bonito ( fora o último que é mais feio que brigar com a mãe por causa de mistura ), charmoso, cavalheiro, elegante, parece ser bom de cama mas é um assassino de um dos lados da história, e tem licença pra matar quem esta do lado adversário. Julgando James Bond ele é assassino tanto quanto um cara baixote, carrancudo, com cicatriz no rosto e cara de mau.
Podemos então olhar uma história pela angulo que quisermos mas a verdade só tem um único angulo.

Chegamos agora à educação.
Uma escola é uma memoria afetiva e um tradição, depois disso ela é um prédio e um organização interna que produz saber. O conjunto prédio, ex-alunos e professores ( ex ou não ) formam uma referencia em nossas vidas. Não se passa por cima disso. De nada adianta renovar os metodos de ensino e projetar o futuro do saber, se para isso você destroi a tradição e a memória afetiva das pessoas.
Não existem varios lados aqui também, aqui existe uma verdade única, a que escola é memória e tradição.
Quando o Brasil foi descoberto já existiam universidades na Europa que existem até hoje.
Podem estar certos que ninguém reformulou o ensino lá destruindo o passado coletivo.

3 comentários:

Mary Joe disse...

Vitorio, esse nosso diálogo inter-blogs é uma coisa interessante. Obrigada por meu post merecer um post seu. E que post! Lindo e instigante.

Concordo em gênero, número e grau...
Beijokas
Mary Joe

Maria Margarida disse...

Olá Vitório! Eu, que fico tão distante daqui, deveria visitar seu blog mais vezes. Você sempre me desperta reviravoltas internas muito positivas. "Acorda, Alice!". Muitas vezes nos comportamos como Alice, sorrateira e disfarçadamente, mas nos comportamos sim. Mesmo sabendo de tudo, a consciência por vezes se turva diante de tantos interesses e sutilezas. Obrigada, mais uma vez. Abraços. Magah.

Arquimedes Pessoni disse...

Mas isso é o óbvio! Não precisa ser Lulu Santos pra saber que não haveria luz se não houvesse a escuridão. Por isso que a moeda tem dois lados (só a do Joelmir Betting tem três). Todos nós somos Yin e Yan, inclusive a Alice. E aquele gato com um sorriso daquele pode até concorrer contra Dilma e Serra que levaria fácil.