PENSANDO

PENSANDO

terça-feira, 27 de outubro de 2009

E PORQUE NÃO APENAS A MENSAGEM?


Um pastor iniciou sua pregação no domingo fazendo perguntas as fieis.
Ele perguntou:
- Vocês sentem em vocês a necessidade do amor ao próximo?
Todos responderam a plenos pulmões:
- Sim!
- Vocês acreditam na igualdade entre as pessoas?
- Sim!
- Vocês acreditam que entendem a mensagem de Cristo de dar a outra face?
- Sim!
- Vocês tem dentre de si a compreensão de que o que fazemos aos outros estamos fazendo a nós mesmos, tem essa convicção?
- Sim!
- Então, porra, porque vocês saem como loucos depois do culto e quase se matam prá passar primeiro pelo portão com seus carros?
Falo com muita tranquilidade sobre meu ateísmo.
Vivenciei as religiões e sei que há dentro das igrejas na hora das missas, cultos, reuniões, seções e seja lá como for que chamem, uma clima de muita cordialidade e apreciação entre as pessoas.
Pois isso me agrada, mas não os dogmas e os ritos.
Participaria de algo que fosse apenas o encontro sincero das pessoas para mostrar que estão juntas, unidas e solidárias, mas não para fingir que sou bom e em seguida sair ignorando o cara do banco ao lado.
Vivenciei este bem estar, mas isso era apenas uma parte da coisa, a outra era ter que ter fé em algo que realmente não acredito.
E por incrível que pareça a questão dá fé esta muito bem colocada num filme patético e inferior chamado O guia do mochileiro das Galáxias. Lá se explica que Deus não oferece provas de sua existência porque suas existência é baseada na fé e não nas provas, e a fé não pode prescindir de provas. Pois é, não tenho fé, preciso de provas.

3 comentários:

Arquimedes Pessoni disse...

Não se preocupe, pois até os ateus são filhos de Deus... se tivesse a certeza da existência de um criador vc mudaria de alguma forma? Essa é a questão. Religião, que vem de "religare", é algo que busca ligar criador e criatura por meio de algum rito, crença, desejo. Acreditar é fruto de fé e fé não tem como dar provas, é algo individual. Pra mim, algumas pistas foram dadas, mas as pessoas devem se unir pelo que têm em comum, não pelo que as separa. Infelizmente, alguns religiosos achão mais importante defender seus credos do que enxergar no outro um companheiro de jornada, com suas limitações, defeitos... E como diria Forrest Gump, "não quero mais falar sobre isso". Amém.

Mary Joe disse...

Vitorio, sou uma pessoa de fé... creio em tanta coisa, mas uma coisa temos em comum... naõ consigo crer nesses grupos. A retórica é linda, mas o efeito final é bastante pouco.
Acho patéticos os pastores que abusam de suas ovelhas, seja em que religião for.
Daí naõ tenho nenhuma...

Quanto ao guia do mochileiro, vc precisa LER os livros. É totalmente diferente do filme. E vale a pena. Douglas Adams era um gênio.
Beijokas
Mary

sel disse...

Olha amigo,eu sou um tipo de pessoa que acredita na fé,igreja pra mim não salva ninguém não,infelizmente moro em uma cidade pequena que por sinal não é a minha terra natal,onde vc é rotulado pela religião que segue,eu fico puta da vida com esses cegos irremediáveis que acham que viver dentro de uma porra de igreja é melhor que aquele q só tem fé e não segue nenhuma mentira..e por acaso ter fé é pouco,não é um bem maior..?qdo escrevi"Traficante de almas",foi uma revolta que tive em relação a esta farça,se ler bem entrelinhas verá meu alerta,minha indignação....ae amigo desculpe a explosão mas o assunto é extenso e mexe muito com minha maneira de encarar estes fatos....bjos!!!