PENSANDO

PENSANDO

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

RELATIVO A NADA.

Hoje a tarde me senti velho.
Percebi por um longo período de tempo que o mundo me era desproporcional.
Entendi algumas coisas que me haviam dito alguns dias atrás, agora de forma clara e com razão.
Não tenho demonstrado muito alegria de viver. Estou sem entusiasmo e sem brilho.
Apagado e recluso tenho cuidado de coisas desimportantes embora criando projetos interessantes para próximos trabalhos, quer dizer, estou de bem com o futuro quando trato dele no presente, mas não estou de bem com ele quando nele me vejo.
Somos a soma de nossas escolhas e o resultado de nossas iniciativas passadas.

A algum tempo descobri essa coisa de períodos sabáticos, ou seja: tirar umas férias daquilo que você é, ser outra pessoa e viver diferente de tudo que você sempre foi, isso tudo com o botão de foda-se ligado. Olhei para as pessoas com um total desinteresse e embora tenha ouvido e palpitado, não me importei muito com os destinos alheios como sempre faço.

Acho que estou com o meu saldo de compaixão em baixa.
Me vi impossibilitado de dar uns conselhos renovadores, e então achei por bem ficar calado, apenas confirmei e concordei com tudo que ouvi.
Percebi também que estou num ritmo mais lento que o resto das pessoas, que estou meio vazio de ações práticas e que as coisas estão se acomodando por , mas não da maneira como gosto.

Mas tenho desenhado e pintado legal e escrito coisas interessantes, mas não consigo identificar de onde esta vindo a inspiração. Será que estou ficando maduro? Conseguindo produzir com a razão? Estarei eu adquirindo nervos de aço? Terei perdido a ansiedade e o tesão?
Será que mergulhei numa andropausa generalizada de corpo e alma? Ou como disse minha amiga psicóloga, que tenho a cabeça pequena?
Será que tenho alguma destas dúvidas?
O fato é que sempre acho que ficar velho é melhor que ser jovem. A velhice trás a calma que buscamos a vida inteira, mas quando percebemos que estamos entrando nela ficamos tristes porque o que queremos é participar do primeiro plano a vida toda sem deixar espaço para os que vem atrás. Mas para isso é preciso muita energia e chega uma hora que você descobre que não se deve aplicar energia em tudo que aparece pela frente. A maturidade é seletiva.
A única coisa da qual você não se livra é de ter que fazer escolhas, mas elas são mais fáceis.
Se você quer se sentir magro ande com gordos, se você não quer se sentir velho não ande nem com jovens nem com velhos, ande com você sozinho, se enfrente e diga pra você mesmo porque e como chegou onde chegou.

3 comentários:

Arquimedes Pessoni disse...

Xiii, já passei por isso inúmeras vezes nos últimos 9 meses. As limitações físicas nos fazem repensar e chegar à conclusão que nosso maior tesouro é o tempo e que esse, se desperdiçado, não volta mais. Se bem usado, fica como memórias de bons momentos. As limitações devem ser vistas não como problemas, mas sim como oportunidades de rever o que foi feito e aprender a dizer "não" pra aquilo que vc não quer mais. Sem contar, prezado primo, que não dá pra funcionar em 220v o tempo todo e vc é bem assim. Como tb sou pisciano, sei tb que temos a facilidade de começar um monte de coisas, mas queremos terminá-las rapidamente, senão perdemos o interesse. Logo, projetos a longo prazo, pra gente não dá. Como não faço mais projetos, adotei a máxima de Zeca Pagodinho: "deixa a vida me levar". Como sou cristão, entendo bem que "seja feita a Vossa vontade" é diferente de "seja feita a Nossa vontade". A lógica do Grande Arquiteto do universo, pela minha fé, é bem diferente da nossa. Mas não desanime não, enfie o dedo na tomada e segue tocando a vida!

Andréa disse...

Eu já me fiz esta pergunta várias vezes, amadurecer nos torna melancólicos? Mas, de acordo com as suas palavras, acho que ainda sou jovem pq não consegui atingir uma das metas que acho que seria ótimo e me falta, ter calma. Quero chegar lá, custe o que custar!
Força!!!

abracx

Creuza disse...

isto mesmo ,primito!!!escreva td que esta sentindo pois desta forma poderá lidar melhor com vc mesmo...a melhor terapia ,é o desabafo ...escrever ou falar o que esta sentindo ,através da escrita pode-se rever conceitos,passar borracha onde deve ser passada sem danificar o corpo e melhorar a mente!!!somos com certeza o resultado do que fizemos ao longo de nossa história e não devemos remoer o que fizemos ,se aquilo que deixamos de fazer ainda nos é importante, é só correr atrás do prejuizo pois sempre é tempo para recomeçar!!!!
bjssstosss