PENSANDO

PENSANDO

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

VAMOS PASSAR DOS LIMITES EM POUCAS HORAS.

Pequenas tragédias irão acontecer nas próximas horas. Ontem fazendo um pequeno percurso de 12 kms aqui na região contei dezenas de situações de elevado risco por conta das chuvas.
Tivemos um ano inteiro de chuva, não tivemos mais que 20 ou 30 dias de sol e com certeza não ficamos mais que 45 dias sem chuva aqui na região da Serra do Mar. Com isso o solo esta saturado, perdeu sua capacidade de absorção e esta totalmente instável. Nestes dias fizemos alguns trabalhos de restauração de canaletas e podas de árvores aqui em casa e em algumas partes do terreno é impossível caminhar, se você cavar 40 cms ainda esta na camada de barro ou terra muito humida. Isto é grave pois mesmo com muita chuva de você cavar a terra ela deve estar seca ou firme a mais de 10 a 20 cms da superfície.
Na terça e na quarta tivemos árvores que caíram e fecharam a mesma estrada pela manhã sem chuva na hora do ocorrido e sem vento, ou seja, caíram porque o chão não segura mais as árvores em pé. Todos os barrancos estão descendo para a pista, num trecho de 500 metros avistei 200 metros de deslizamentos de pequeno porte mas que indicam que o restante do barranco virá abaixo em seguida. Lagos estouradas e vertedouros que não param de escoar, isso é grave, porque mesmo com as barragens sendo abertas a velocidade da água esta enchendo os lagos acima da capacidade de armazenamento e a água acha os vertedouros, se o vertedouro não der conta a barragem em algum lugar arrebenta com a pressão. Basicamente toda água que cai de uma chuva como a de uma única noite desta semana, que equivaleu a 6 dias normais de chuvas de verão, escorrem sem penetrar uma gota sequer no solo e sem ter onde ficar retida.
Muita gente esta morrendo soterrada, e a Defesa Civil do ABC ( cidades da região metropolitana de São Paulo ) esta fazendo triagem de ocorrências para atender apenas ao casos mais graves, e isso é calamitoso. Não se trata de um momento mas do resultado de um período de um ano incessante de chuvas. Para os próximos dias estão previstas chuvas muito fortes e prolongadas e esta semana tivemos enchentes e situações difíceis todos os dias da semana.
Eu moro num lugar muito elevado, mas cercado de árvores e tenho visto cada raio cair aqui perto como nunca via antes, esta tudo muito húmido e é preciso andar isolado do chão, o risco é enorme. Tenho muitos amigos com histórias de enrascadas com chuvas por estes dias, as pessoas precisam sair e fazer as coisas, as casas não tiveram manutenção em telhados e aja goteiras, cada um improvisa sua solução, até em casa de capa de revista.
Estamos todos muito espertos, mas impotentes diante da enormidade do problema.

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Pois é, o homem mexe na natureza e ela reaje. Se chove, reclamamos que chove, se há muito sol, porque está sol de mais...difícil satisfazer ser humano. E olha que as águas de março nem chegaram...