PENSANDO

PENSANDO

sexta-feira, 6 de março de 2009

UMA VIDA COM ARTE.

Certa vez quando eu fazia o primeiro ano da faculdade de comunicação resolvi perguntar aos meus colegas quem fazia algum tipo de arte, eramos 90 alunos. Lembro que 70 faziam algum tipo de trabalho que poderia se chamar de arte. Começamos então a expor os trabalhos na própria sala de aula antes da primeira aula e no intervalo, e foi impressionante a variedade de idéias que apareceram. Aquela turma era realmente muito especial e muito criativa. Dai passamos a fazer coisas muito loucas e manifestações artisticas muito gostosas de idealizar, criar, fazer e ver. Rimos e aplaudimos-nos muito. Eu comecei cêdo a desenhar e nunca parei, poderia ser muito mais técnico, mas veio a informática e eu não vi razão para avançar tanto numa coisa que fatalmente iria morrer. Mas não morreu, pelo contrário ampliou-se muito, e coisas muito boas foram feitas desde então. Eu perdi um pouco de meu senso critico diante das imensas novidade tecnológicas. Fiquei como no chavão do cara que ganha uma cartela de aquarela e em seu primeiro trabalho usa todas as cores. Esse deslumbramento compromete muito a gente, pois ficamos abertos a tudo de novo que é feito e só depois de muitas leituras descobrimos que aquilo é mesmo um tremendo aquilo. E me pego, até constrangido, usando imagem de anginho dormindo, mas que é tão bem feita que é impossivel resistir. Com isso caí na vala dos comuns, dos de gosto duvidoso. Pelo menos percebi a armadilha em que caí, e não fico defendendo minha mediocridade. Estou aqui denunciando-a. Mas gostaria de reconstruir minha capacidade de expurgar o brega e o kitchen. Não destruilos, mas conseguir classifica-los como tal.

Um comentário:

Creuza disse...

viver é uma arte...
se ainda nos sobrar tempo prá admirar o belo,somos felizes!!!se ainda nos sobrar tempo prá fazer o belo,somos felizes!!!se o tempo que sobrar ,não der tempo prá nada ...então temos que repensar !!!